Comissão de Graduação em Medicina

PERFIL DO CURSO

O Curso de Medicina foi criado oficialmente em 1898, obtendo reconhecimento em 10 de setembro de 1900, através do Decreto n 3758. A atual renovação de reconhecimento foi homologada através da Portaria 1.153 - SESu/MEC, de 22 de dezembro de 2008. O Currículo Mínimo obedece à Resolução n 08/69 do Conselho Federal de Educação. Em 1989, o Currículo Pleno do Curso de Medicina foi reformulado pela Resolução n 08/89 da COMCAR/MED de 20 de setembro de 1989, iniciando-se a implantação do novo currículo de código 242.00, no segundo semestre de 1990, estando em extinção o de código 142.00. Em 2002, foi reformada a grade curricular com a inclusão do Internato de 18 meses. Foram feitos ajustes necessários nas disciplinas e nos estágios das áreas clínicas para que se criasse o espaço de mais um semestre de Internato. Em 2005, atendendo às Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Medicina, Resolução CNE 04/01, foi implantado o Currículo Medicina, que segue paralelo ao Currículo 242.00, com modificações curriculares semestre a semestre. O currículo 242.00 foi extinto em 2010/1.
Em 2007, o internato foi expandido de 18 para 24 meses, para se adequar às diretrizes nacionais com a inclusão dos Internatos em Anestesiologia, Medicina Perioperatória e Reabilitação; Trauma; Medicina Intensiva e Emergência a expansão dos Internatos de Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Opcionais. A implantação oficial destes Internatos ocorreu no semestre 2009/1. Foram incluídas disciplinas eletivas/facultativas adicionais no currículo MEDICINA, tais como MED02009 - Introdução à Transplantologia, MED02010 - Nutrologia, MED01024 - Fundamentos de Medicina Nuclear e MED01023 - Infectologia e Imunologia Clínica.
O Curso de Medicina tem como sede a Faculdade de Medicina, contando também com a participação de outras Unidades da UFRGS no desenvolvimento do seu currículo: o Instituto de Biociências e o Instituto de Ciências Básicas da Saúde.
O Hospital de Clínicas de Porto Alegre á o Hospital-Escola da Faculdade de Medicina da UFRGS, tendo sido construído ao longo de várias décadas. Foi criado pela Lei N° 5.604 de 02/09/1970, publicado no DOU em 08/09/1970. Pertence à rede de hospitais do Ministério da Educação e está vinculado academicamente à UFRGS. Constitui-se em um dos mais qualificados hospitais de ensino do País e da Amárica Latina. O HCPA atua de forma integrada ao SUS através de contratualização com a Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, responsável pela administração do processo assistencial municipalizado conforme diretrizes do Ministério da Saúde.
A Faculdade de Medicina utiliza ainda outros cenários de ensino-aprendizagem sendo destaques a IRMANDADE DA SANTA CASA DE PORTO ALEGRE com suas várias enfermarias, especialmente as unidades de Pneumologia, Dermatologia, Neurologia; o INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL e a REDE BÁSICA DE SAÚDE do MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE. O Departamento de Pediatria vem desenvolvendo o seu projeto de ensino em 4 CRECHES COMUNITÁRIAS e 4 ESCOLAS PÚBLICAS onde encontra os atores necessários para o ensino da prática médica pediátrica. Em todos estes cenários, contamos com Professores de nosso corpo docente, onde alguns realizam parte de sua atividade de extensão e pesquisa.

ATIVIDADES DO CURSO

O Currículo Medicina foi implantado progressivamente, tendo iniciado no primeiro semestre de 2005. É constituído por um conjunto de disciplinas obrigatórias. Como complemento ao curso á oferecido, ao longo do mesmo, um grupo de disciplinas de caráter opcional-facultativo, que não são exigidas para complementação de créditos. Como parte do Currículo Medicina, o aluno matriculado a partir do período 2005/2 atá 2007/1 deverá cumprir 05 (cinco) créditos em Atividades Complementares, atá o término do curso. O currículo compreende disciplinas, que obedecem ao calendário geral da UFRGS, com quinze (15) a dezenove (19) semanas de duração, estágios com duração de dezenove 19 a vinte (20) semanas e o internato com duração de um a três meses, dependendo da área, em tempo integral, conforme legislação específica do Conselho Federal de Educação. O Currículo Medicina compreende quinhentos e setenta e oito (578) créditos obrigatórios e seis (6) créditos em Atividades Complementares, totalizando dez mil quinhentos e sessenta e sete (10.567) horas-aula. O curso tem duração mínima de seis anos e máxima de 12 anos.
Como parte do Currículo Medicina, o aluno matriculado a partir do período 2005/2 atá 2007/1 deverá cumprir 05 (cinco) créditos em Atividades Complementares, atá o término do curso. O aluno matriculado a partir de 2007/2 em diante deverá cumprir 06 (seis) créditos em Atividades Complementares, atá o término do curso.
O Calendário Acadêmico á proposto pela COMGRAD, sujeito à aprovado pelo Conselho da Unidade.

Titulação obtida: A titulação conferida é a de MÉDICO.

PERFIL DO EGRESSO

O Curso visa a formação geral do aluno em Medicina, capacitando-o a promover e proteger a saúde da gestante, da criança, do adulto e do idoso; prestar assistência aos problemas de saúde de maior prevalência na população e encaminhar, adequadamente, os níveis mais complexos; tomar medidas necessárias à preservação da vida em situações de urgência mádica; estabelecer uma relação profissional adequada com pacientes, famílias e comunidade, respeitando normas áticas; conhecer os princípios básicos de planejamento, organização e direção dos serviços de saúde; avaliar trabalhos científicos, elaborar e executar projetos de pesquisa, e continuar sua educação médica de forma autônoma.


FORMA DE ACESSO AO CURSO

O ingresso ao curso é feito por duas vias: o Concurso Vestibular e o Ingresso Extravestibular. Anualmente, são oferecidas cento e quarenta (140) vagas pelo Concurso Vestibular, das quais metade destina-se aos candidatos melhor classificados, que ingressam no primeiro semestre do ano (março). Os demais têm seu acesso no segundo semestre do ano (agosto). A sistemática de entrada pelo Ingresso Extravestibular, no Curso de Medicina, iniciou em 2005. O número de alunos ingressantes por essa modalidade varia de acordo com os cálculos de evasão. Ambas as formas de ingresso são normatizadas pela COPERSE da UFRGS. O curso recebe alunos por Transferência Compulsória. Dentro do Convênio da Mobilidade Acadêmica, firmado entre as IFES em abril de 2003, o Curso recebe alunos temporários por até dois semestres letivos, de acordo com a disponibilidade de vagas, através da modalidade de Aluno-Visitante, onde também estão enquadrados os estudantes de instituições estrangeiras com as quais a UFRGS mantém convênios.

ESTÁGIO CURRICULAR

O estágio curricular obrigatório do Curso de Medicina é o Internato em Medicina. Este estágio é regulamentado pelas Diretrizes Curriculares dos cursos de Medicina, Resolução CNE/CES n° 4 de 07.11.2001 e pelo Regulamento do Internato da Faculdade de Medicina da UFRGS. O regime de internato á realizado em serviços próprios junto ao Hospital de Clínicas de Porto Alegre ou em serviços conveniados como o Grupo Hospitalar Conceição, Santa Casa de Porto Alegre e Postos de Saúde do Sistema Único de Saúde de Porto Alegre sob supervisão direta dos docentes da própria Faculdade. A carga horária mínima do estágio curricular deverá atingir 35% da carga horária total do Curso de Graduação em Medicina proposto, com base no Parecer/Resolução específico da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação. Atualmente o Internato em Medicina á realizado em 24 meses (4875 horas ou 46,2 % da carga horária total). O Internato á coordenado por comissão específica da COMGRAD/MED com representantes docentes, discentes e dos funcionários.
O estágio curricular obrigatório de treinamento em serviço inclui aspectos essenciais nas áreas de Clínica Médica, Cirurgia, Ginecologia-Obstetrícia, Pediatria e Saúde Coletiva, Psiquiatria, Emergência, Trauma, Medicina Intensiva e Anestesiologia, Medicina Peri-Operatória e Reabilitação, devendo incluir atividades no primeiro, segundo e terceiros níveis de atenção em cada área. Estas atividades devem ser eminentemente práticas e sua carga horária teórica não superior a 20% do total por estágio. Os alunos do Curso de Graduação em Medicina serão submetidos, em caráter obrigatório, ao Programa de Internato, durante o transcurso dos últimos 24 meses letivos, com estrita observância da legislação pertinente, do Regimento da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e das disposições contidas neste Regulamento. Entende-se por Internato o último ciclo do curso de graduação em Medicina, livre de disciplinas acadêmicas, durante o qual o estudante deve receber treinamento intensivo, contínuo, sob supervisão docente, em instituição de saúde, vinculada, ou não, à escola médica. Para iniciar o Internato o aluno deverá, obrigatoriamente, ter cursado e sido aprovado em todas as disciplinas curriculares atá o 9° semestre.

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

O Curso de Medicina não exige Trabalho de Conclusão de Curso. Dentro dos indicadores de avaliação do SINAES, esta é uma atividade acadêmica opcional. O Curso de Medicina é um curso eminentemente prático onde os dois últimos anos são realizados em forma de estágio através do Internato.

POLÍTICA DE ATENDIMENTO A PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

As ações que a UFRGS vem adotando para atender aos portadores de necessidades especiais têm envolvido as seguintes medidas:

a) Programa de Acessibilidade das Pessoas Portadoras de Deficiência ou Mobilidade reduzida.
Inclui obras como construção de rampas, nivelamento de passeios, sanitários adaptados, além de estudos para diferentes situações de acesso. Esta iniciativa está sendo contemplada nos Projetos de Arquitetura para os prédios novos. Os prédios antigos estão sendo gradualmente reformados para atender tal necessidade.

b) Núcleo de Apoio ao Aluno com Deficiência Visual (NAPNES)
Criado para atender portadores de deficiência visual, atua diretamente com alunos e professores. Confecciona textos em braille e capacita estagiários e outros profissionais para o trabalho com esse público. Conta com o apoio da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas Portadoras de Deficiência e de Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (FADERS).

c) Setor de Apoio a Alunos com Deficiência Visual (SAADVIS)
Criado em janeiro de 2005, por portaria do Reitor, iniciou um processo inclusivo, ao cumprira legislação nacional vigente sobre a educação de pessoas com deficiência visual no ensino superior, criando as condições necessárias para que esses alunos que já ingressaram pelos caminhos legais (vestibular) tenham o acesso adequado ao material de seus cursos. O setor tem como objetivo oferecer o apoio necessário aos alunos de graduação, pós-graduação e ensino profissionalizante da Universidade.

d) Programa Incluir
Legalmente, o Programa Incluir consiste em um edital de fomento a ações de acessibilidade aos ambientes e currículos e de inclusão social de pessoas com necessidades educacionais especiais (PNEEs) nas Universidades Federais. O objetivo do programa na UFRGS á organizar estratégias de apoio aos alunos que ingressem na UFRGS e que apresentem uma das seguintes situações pessoais: surdez ou deficiência auditiva, paralisia cerebral ou deficiência física. Propõe-se a capacitar funcionários da Universidade no uso e habilitação para interpretar a fala dos docentes para a Língua de Sinais, no caso dos alunos surdos, e adquirir instrumentos que sejam necessários para facilitar a aprendizagem e locomoção de alunos com paralisia cerebral e deficiência física nos espaços da Universidade e em sala de aula.

e) LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais
Em consonância com a política nacional de inclusão e com a legislação emanada da Secretaria Especial dos Direitos Humanos e do Ministério de Educação, a Universidade oferece os recursos assistivos requeridos aos estudantes portadores de deficiência auditiva. Tanto para as atividades de graduação como de pós-graduação, são disponibilizados intérpretes da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS - sobretudo na Faculdade de Educação. Um grupo de pesquisa estabelecido e reconhecido no tema vem auxiliando na implantação das ações definidas.

O curso não possui políticas de atendimento específicas a respeito de portadores de necessidades especiais, mas conta com o apoio de ações institucionais quando há a necessidade de dar suporte a algum aluno. O atendimento aos portadores de necessidades especiais á uma preocupação constante da UFRGS, que requereu por parte da Universidade as seguintes ações:

COMISSÃO DE GRADUAÇÃO

A organização, o planejamento e a monitorização do curso cabem à COMISSÃO DE GRADUAÇÃO DE MEDICINA - COMGRAD/MED, conforme estabelecido no Regimento Geral da UFRGS, aprovado pelo CONSUN e CEPE em 22/12/95, Sessão V, Art. 46, 47 e 48 e no Regimento da Faculdade de Medicina, conforme Decisão CONSUN 67/05, cap. IV, Art. 26 a 32.
Atribuições: Descritas no Regimento da FAMED


Art. 28 - Compete às Comissões de Graduação:
I - propor ao Conselho da Unidade, ouvidos os Departamentos envolvidos, a organização curricular e atividades correlatas dos cursos correspondentes;
II - avaliar periódica e sistematicamente o currículo vigente, com vistas a eventuais reformulações e inovações, deliberando sobre a organização e inovações curriculares, sujeita à aprovação do Conselho da Unidade e homologação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão;
III - propor ações ao Conselho da Unidade, relacionadas ao ensino de graduação;
IV - avaliar os planos de ensino elaborados pelos Departamentos, o desempenho global das disciplinas e o desempenho individual dos docentes em suas funções didáticas;
V - orientar academicamente os alunos e proceder a sua adaptação curricular;
VI - deliberar sobre processo de ingresso, observando a política de ocupação de vagas estabelecida pela Universidade e pela Faculdade de Medicina;
VII - aprovar e encaminhar periodicamente à Direção da Unidade a relação dos alunos aptos a colar grau;
VIII - supervisionar o ensino das disciplinas integrantes do currículo do curso;
IX - manifestar-se nos casos de recusa de matrícula ou desligamento de alunos do respectivo curso;
X - atuar, como instância final nos casos de recurso interposto em matéria de atribuição de conceito, nos termos do artigo 136 do Regimento Geral da Universidade;
XI - elaborar, ouvidos os Departamentos, os horários das disciplinas, observando o disposto no artigo 133 do Regimento Geral da Universidade.

Comissão de Graduação Biênio 2016-2017:

Alberto S. Mainieri - MED 2
João Henrique Kanan - DEPTO.MICROBIOLOGIA
Oly Campos Corleta - MED 3
Mariza Kluck - MED 5
Ricardo M. Xavier - MED 1
Jaqueline Lubianca - MED 7
Maria Elisa Calcagnotto - DEPTO.BIOQUIMICA
Mauricio Kunz - MED 8
Otávio Piltcher - MED 6
Leila Beltrami Moreira - DEPTO.FARMACOLOGIA
Roberto Giugliani - DEPTO.GENÉTICA
Raquel Camara Rivero - MED 4
Caetano Araujo T. Lima - REP.DISCENTE
Danilo Fernando da Silva - REP.DISCENTE
Thiago Barth Bertotto - REP.DISCENTE

Reuniões - As reuniões ordinárias da Comissão de Graduação em Medicina ocorrem nas 4° feiras, às 10:50min, na Sala da Coordenação da Comissão, 4° andar FAMED/UFRGS. 

COMISSÃO DE INTERNATO

A Comissão de Internato para o Curso de Graduação em Medicina é constituída por todos os regentes de disciplinas obrigatórias do Internato, por um aluno de graduação matriculado em cada semestre letivo do internato, por um funcionário técnico-administrativo que exerce cumulativamente a função de Secretaria e pelo Vice-Diretor da Faculdade que é o Coordenador.
A Comissão de Internato opina sobre todos os assuntos relacionados ao ensino do internato.
As decisões da Comissão de Internato são submetidas à homologação da Comissão de Graduação em Medicina sempre que interferirem com decisões de alçada da mesma.

CURSO:

Diretrizes Curriculares:

As Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina são estabelecidas através da Resolução n° 04, de 07 de novembro de 2001, do Conselho Nacional de Educação. Para conhecer a íntegra da resolução clique aqui.
Currículo: Para conhecer o atual currículo do Curso de Graduação em Medicina clique aqui
Súmulas das Disciplinas: As súmulas das disciplinas do Currículo Medicina estão disponíveis em seus respectivos planos de ensino.
Planos de Ensino: Os planos de ensino das disciplinas já aprovados pela Comissão de Graduação em Medicina estão disponibilizados no Portal de Serviços da UFRGS (Portal do Aluno - Portal do Servidor).

EQUIPE TÉCNICA DA COMISSÃO DE GRADUAÇÃO DE MEDICINA:

Técnico em Assuntos Educacionais: Alexandre Marques Velho
Secretárias: Adriana Saldanha Ferrari, Liana Dolniak e Susana Pordany,
Fone: (51) 3308-5274 - Fax: (51) 3308-5629
Endereço: Rua Ramiro Barcelos, 2400 - 4° andar
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Calendário FAMED 2017

2017/1

1º, 2º e 3º semestres:             06/03/2017 – 14/07/2017 – 19 semanas
4º, 5º e 6º semestres:             20/02/2017 – 07/07/2017 – 20 semanas
7º semestre:                            23/01/17 – 09/06/17- 20 semanas
8º semestre:                            02/01/17 – 19/05/17 - 20 semanas
9º, 10º, 11º e 12ºsemestres: 01/12/16 – 31/05/17
Formatura: 16 de junho de 2017

 


2017/2

 

1º, 2º e 3º semestres:             07/08/2017 – 22/12/2017 – 20 semanas
4º, 5º, 6º e 7º semestres:       24/07/17 – 15/12/17 - 21 semanas
8º semestre: 26/06/17:         10/11/17 - 20 semanas
9º, 10º, 11ºe 12º semestres:  01/06/17 – 30/11/17
Formatura: 15 de dezembro de 2017


OBSERVAÇÕES:

1º) A realização da prova final e a divulgação de seu respectivo resultado em qualquer atividade acadêmica regular do currículo Medicina devem ser ocorrer até o penúltimo dia letivo – para as três primeiras etapas – e até o último dia letivo – da quarta à oitava etapas –conforme previsto pelo calendário FAMED.
2º) A realização da prova de recuperação, para as três primeiras etapas do currículo Medicina, deverá ocorrer em até 24 horas antes do encerramento do período de apropriação de conceitos, de modo que o professor regente da disciplina faça a correção e aproprie os conceitos dentro dos prazos estabelecidos pelo calendário UFRGS, sendo que deve ser respeitado o que está regulado na resolução nº 11/2013 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) no artigo 47 e seu parágrafo único.
3º) A realização da prova de recuperação e a divulgação dos conceitos, da quarta à oitava etapas do currículo Medicina, deverão ocorrer no máximo em até 07 (sete) dias corridos após o encerramento das atividades letivas, conforme calendário FAMED, sendo que deve ser respeitado o que está regulado na resolução nº 11/2013 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) no artigo 47 e seu parágrafo único.
4º) A data da prova de recuperação de qualquer atividade acadêmica regular do currículo Medicina deve constar no plano de ensino informado no portal da Universidade. Sendo assim, os regentes de todas as atividades acadêmicas devem incluir esta informação nos planos de ensino a partir do semestre de 2017/1.
5º) Os casos omissos serão analisados e decididos pela COMGRAD/MED em reunião.
6º) Para o cumprimento da Res. 11/2013 – CEPE – “a) às semanas letivas: de acordo com o Art. 3º, 37 e 40, os cronogramas para 2017/1 deverão apresentar 19 semanas (18 semanas letivas e mais uma semana para recuperação de avaliações)”.
No período 17/2 será acrescida uma semana referente ao Salão de Iniciação Científica UFRGS, Semana Acadêmica e Semana Acadêmica CASL, sendo todas essas atividades realizadas no mesmo período.

O tempo destinado à avaliação e à recuperação deve ser considerado dentro do limite máximo do tempo da disciplina ou estágio.

Semana Acadêmica / Salão UFRGS / Semana Acadêmica CASL, deverá ser incluída no número total de semanas do semestre. Conforme Decisão da Reitoria os alunos serão dispensados das atividades acadêmicas ( aulas e provas) para participação do Evento.

Informações Adicionais